Eva, un recorrido, mais uma chance para assistir!

O ano de 2012 marcou os 60 anos da morte de Eva Perón. Independentemente de partidos e tendências políticas, é indiscutível a importância desta mulher na história Argentina e Mundial.

O mais impressionante em sua história foi a trajetória meteórica com que saiu da total obscuridade ao mais absoluto resplendor pessoal e político. “Figura chave de um regime ancorado no paternalismo e na demogagia, Evita resiste, no entanto, como uma imagem alheia e superior ao mesmo.”

O Museu Evita, em Buenos Aires, abrigou nos meses de agosto e setembro de 2012 uma belíssima produção, que recriou o mundo de Evita e percorreu a história contida naquelas paredes. Com direção de Andréa Castelli, 18 bailarinos, entre eles eu, dançamos e nos emocionamos durante cada um dos shows. Experiência que deixou em todos nós, mas também em cada um dos que foram assistir, profundas marcas, belas lembranças e saudade.

Como o eco vindo de um pasado agora distante, poderemos rever no domingo 23 de dezembro às 21h este espetáculo que, sem dúvida nenhuma, foi um marco na minha vida profissional, em um ano que foi um marco na minha vida pessoal. Os que não foram à Buenos Aires agora tem uma segunda chance. Aproveitem!

http://www.igualdadcultural.gob.ar/agenda/detalle/id/103

Para os que ainda não conhecem, este é o blog do espetáculo Eva, un recorrido. Aí vocês encontrarão algumas fotos e informações sobre o show.

http://evaunrecorrido.wordpress.com/

Abraços!

Pode entrar

Vancouver, 25/05/12.

Pode entrar

Aqui,
entre solidões que se estendem
até onde os meus olhos alcançam,
entre duas descompassadas batidas
do meu coração,
ao desejar os teus beijos,
entre parênteses de silêncios
e colchetes de entregas,
entre as tuas pernas,
entre a lembrança do teu cheiro
e o meu sorriso,
entre aquele delicado e perdido gesto
que revela um segredo
e o teu sorrir,
entre aquele momento
em que não há palavras
e a tua boca,
entre a distância que agora nos separa
ao mesmo tempo que nos aproxima,
entre suspiros onde se pode viver,
amar,
morrer,
nascer.
Aqui,
entre nós,
entre a tua presença e a minha,
entre a minha ausência e a tua,
não há mais espaços,
não há mais vazios.
Aqui,
entre nós,
entre os teus espaços e os meus,
entre os meus vazios e os teus,
não há mais presença,
não há mais ausência.
Aqui,
entre nós,
entre os sonhos,
eu posso te tocar.
Entreaberta se encontra
a porta do meu coração.
Pode entrar.

Luciano Bastos.