Tal vez será su voz

Mais uma do repertório romântico de Lucio Demare com a inconfundível voz de Raúl Berón. Com letra do poeta Homero Manzi e música do próprio Demare, este tango tem uma história interessante.

Ele foi composto no ano de 1943 e seu título original era “Tal vez será mi alcohol”. Acontece que neste mesmo ano a Argentina foi o cenário de mais um golpe de estado, o que estabeleceu, como consequência, outra ditadura militar no país.

Entre as muitas medidas estatais de caráter repressivo ilegal e de massiva violação dos direitos humanos, havia uma que proibia o uso de expressões “lunfardas” nas canções, o que obrigou Homero Manzi a modificar a letra e o título da música, que passou a se chamar “Tal vez será su voz”.

Para que vocês tenham uma idéia, o “suena el fuye” da letra original se transformou em “suena el piano” “a la luz del alba” passou a ser “al sol de la mañana”.

Os curiosos podem acessar os links abaixo e comparar as letras.

http://www.todotango.com/Spanish/las_obras/Tema.aspx?id=P9tkl7L/NO8=

http://www.todotango.com/Spanish/las_obras/Tema.aspx?id=hSPyjqzd+Zc=

E aqui vocês podem ouvir a música.

Um abraço!

Link

Nunca supe porque (Vals)

Um lindo “valcesito” neste calorosa tarde do verão carioca, interpretado pela orquestra de Lucio Demare, pianista, compositor e diretor de grande criatividade e imaginação, estéticamente comprometido com a escola romântica do Tango. A voz inconfundível de Carlos Miranda.

Aproveitem!